últimas notícias

Notícias

A proposta de reforma previdenciária de Temer e a mulher

Publicado em : 16/02/2017

Autor : Francis Campos Bordas - Advogado

 

Foto: Paulo Fridman/Bloomberg

 

Segundo dados oficiais do Ministério da Previdência Social (MPS) e do Ministério do Orçamento e Gestão (MPOG), as novas regras de aposentadoria e pensões constantes na Proposta de Emenda Constitucional 287 (PEC 287) encaminhada ao Congresso pelo Governo Temer atinge a maioria da população em atividade. Atinge, em especial, a mulher com menos de 45 anos e o homem que não tenha completado os 50. 

A questão é: quem são estas pessoas? Qual o tamanho deste contingente de vítimas? 

Segundo a Nota Técnica do DIEESE 168, de janeiro de 2017 (DIEESE, 2017) , o Regime Geral de Previdência (INSS) conta atualmente com 74,5 milhões de contribuintes, dos quais 76% (ou seja, 54,5 milhões) estão abaixo das idades mínimas de 45 (mulher) e 50 (homem). 

Já no serviço público federal, a situação não é muito diversa, ou seja, a grande maioria da força produtiva (pessoal ativo) está abaixo das idades mínimas propostas pela PEC 287. Dados do Ministério do Planejamento datados de outubro de 2016 (BRASIL, 2016 ) indicam que dos 583.861 servidores em atividade, 60% tem idade inferior a 50 anos. Infelizmente, as informações do MPOG não esmiúçam estes números conforme o gênero, apesar de sabermos que 46% dos ativos são mulheres. Outro dado que impressiona foi que a idade de corte proposta pela PEC é maior do que a idade média do servidor em atividade, conforme dados do próprio MPOG que aponta como 44 a idade média da servidora e 46 do servidor. 

Estes números sugerem que o impacto negativo das reformas propostas em cada categoria do funcionalismo é inversamente proporcional à idade média; vale dizer, o impacto é maior para quem tem menor idade. 

Como mensurar o impacto? Por que as mulheres perdem mais? 

As reformas previdenciárias ocorridas em 1998 e 2003 traziam “regras de transição” que permitiam que o servidor que já se encontrava em exercício pudesse manter o sonho da aposentadoria com proventos integrais, desde que preenchesse os novos requisitos criados especialmente para eles. Ou seja, por mais longo que tivesse ficado o caminho a ser percorrido, o destino final ainda era o mesmo, ou seja, a aposentadoria para os quais estava na expectativa. Isto só ocorre na PEC287 para uma minoria que já tem a idade mínima. A maioria não terá uma regra de transição, portanto, além de novos requisitos estes servidores abandonarão o sonho de uma aposentadoria digna que em muitos casos foi o que lhes atraiu para a função pública. 

E a situação se agrava muito mais se for uma professora da educação infantil e ensino médio e fundamental, pois os novos requisitos propostos implicarão em um aumento de praticamente 60% no tempo necessário para aposentadoria. Este fato decorre da igualdade fantasiosa entre homens e mulheres que só tem efeitos práticos na redução de direitos destas últimas. Somente se justificarão requisitos para aposentadoria iguais entre os gêneros quando as obrigações e direitos (em sua totalidade) forem iguais para ambos os sexos; o Brasil está longe disso. 

Por derradeiro, parece-nos necessário reprisar que a expressão “Previdência”, do latim previdentia, tem sua origem na expressão praevenire (prae = antes e venir = vir). Ou seja, “antes de vir”. Como se vê, a Reforma proposta enxerga o sentido da palavra “previdência” apenas do lado de quem paga o benefício e não de quem recebe. Não é apenas o sistema previdenciário que está em jogo, pois afinal, o sistema nada mais é do que a soma dos interesses e direitos de cada indivíduo e a estes é justo e digno que também se previnam. Na prática, isto está sendo negado.

 

PEC 287: A minimização da Previdência pública

Boletim estatístico de pessoal e informações organizacionais n. 246

 

 

Remover Filtro

Campanha de vacinação contra gripe imuniza mais de 1.500 pessoas

26/04/2018

Neste ano o sindicato vacinou 605 pessoas a mais do que em 2017, no entanto houve uma procura maior pela vacina em função da alta circulação do vírus H1N1 no estado

Etapa estadual da Conape em Goiás ocorre nesta sexta-feira

25/04/2018

Adufg-Sindicato participa junto a diversos outros sindicatos e associações de classe vinculados à educação em Goiás

Associação Goiana da Síndrome de Williams completa dois anos de atividades

25/04/2018

A entidade disponibiliza diagnóstico genético, ações integrativas e encaminhamento para tratamentos clínicos

Sindicato responde carta aberta sobre evento do Grupo Travessia

25/04/2018

Resultado do sorteio da Sede Campestre para feriado do Dia do Trabalhador

25/04/2018

40 Adufg-Sindicato por Mindé Badauy: “Foi um período muito difícil, mas sinto falta”

25/04/2018

Professora foi a primeira presidente eleita do Adufg-Sindicato e responsável pela estruturação e por embates políticos

Estudante de Ciências Sociais é eleita presidente da UEE-GO

25/04/2018

Danny Cruz garantiu a presidência pela chapa “Prontos para a Batalha”

Fórum Goiano promove ação no Dia do Trabalhador

25/04/2018

Convite – Roda de conversa sobre a implantação da UFJ será na sexta-feira, dia 27/04

25/04/2018

O sindicado convida toda a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Jatai (UFJ) para uma roda de conversa com o reitor da UFG, Edward Madureira

PROIFES condena avanço da privatização e da mercantilização da educação básica no país

24/04/2018
voltar para página anterior
Adufg - Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás