Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 20/07/2022 - Notícias

Diretoria do Adufg-Sindicato repudia ataques de Bolsonaro ao sistema democrático

Presidente mentiu sobre o processo eleitoral diante de embaixadores estrangeiros

Diretoria do Adufg-Sindicato repudia ataques de Bolsonaro ao sistema democrático

A diretoria do Adufg-Sindicato divulgou nesta quarta-feira (20/07), nota de repúdio contra os ataques do presidente Jair Bolsonaro ao sistema democrático brasileiro, ocorridos nesta semana. O mandatário reuniu embaixadores estrangeiros e fez uma série de acusões mentirosas contra as eleições e sugeriu que pode não aceitar uma possível derrota nas urnas. "É preciso dar um basta à propagação de mentiras e ao populismo praticados pelo presidente", diz parte da nota.

Confira, abaixo, a íntegra do posiconamento da diretoria da entidade:

NOTA DE REPÚDIO
A diretoria do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) manifesta seu total repúdio contra os ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao sistema democrático. É preciso dar um basta à propagação de mentiras e ao populismo barato que são praticados pelo mandatário.

Para a diretoria do Adufg-Sindicato, é inadmissível que, a menos de três meses da eleição, Bolsonaro coloque em xeque um sistema eleitoral que já lhe conferiu oito mandatos eletivos, inclusive o atual. O presidente demonstra total desespero por medo de sair derrotado nas urnas, já que tem aparecido atrás de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em todas as pesquisas de intenção de voto. Além disso, ele tem visto a população rejeitar cada vez mais sua gestão, que é marcada por incompetência, autoritarismo e corrupção.

Bolsonaro expôs o Brasil ao ridículo, mentiu sobre o sistema eleitoral e ameaçou o estado democrático de direito ao sugerir que não aceitará ser derrotado nas urnas. Tamanho desespero é fruto do seu pavor em perder as eleições e, posteriormente, ser preso pelos diversos crimes cometidos nos últimos anos.

O Congresso Nacional precisa cumprir seu papel e abrir um processo de impeachment contra Bolsonaro. Afinal, dessa vez, os crimes do presidente foram praticados aos olhos de todo o mundo. A população, por sua vez, precisa cumprir seu papel e defender a democracia e a soberania do País.

É preciso lembrar que a derrota de Bolsonaro nas urnas é reflexo da sua própria incompetência administrativa. Sua gestão foi devastadora em todas os setores. Na educação – uma das áreas prioritárias de atuação do Adufg-Sindicato -, Bolsonaro e seus aliados fizeram a pior gestão da história. Os ministros que comandaram o Ministério da Educação tiveram desempenhos estarrecedores e foram pautados pela guerra ideológica e pelos cortes orçamentários contra as universidades e institutos federais.

Diante de um cenário tão grave, não há outra alternativa que não seja convocar todos os docentes das universidades federais, bem como toda a comunidade acadêmica, para que ajudem na luta para a retirada de Jair Bolsonaro da Presidência da República nas eleições de outubro. Derrotá-lo deixou de ser uma questão somente política e passou a ser uma condição para a sobrevivência da democracia e da população como um todo.

Diretoria do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás
Goiânia, 20 de julho de 2022