últimas notícias

Notícias

Mediadoras do projeto “Leia Mulheres” debatem a história do Brasil sob a ótica feminina

Publicado em : 12/03/2018

Autor : Ascom Adufg Sindicato

Luiza Romão em uma das fotografias que ilustram 'Sangria' (Costura de Luiza Romão sobre foto de Sérgio Silva)

Na última quarta do mês de março (28), a partir das 19h, o livro “Sangria”, de Luiza Romão, será analisado em roda de discussão e leitura sob a seguinte pergunta norteadora: o que é possível fazer para mudar a forma como a história do Brasil foi pensada e construída? A ocasião, mediada por Amanda Faria, Cristiane Passos, Maria Clara Dunck e Taluana Wenceslau (representantes do Projeto Leia Mulheres em Goiânia), tem o objetivo de resgatar a história do Brasil por meio de uma perspectiva feminina, tendo em vista os ciclos históricos recriados pela autora do livro em questão.

“Sangria” gira em torno de 28 poemas que retratam os processos históricos do Brasil sob a ótica de um útero. A quantidade de textos, inclusive, é estrategicamente pensada para entrar em diálogo aos 28 dias do ciclo menstrual. A lógica colonialista e a própria estrutura do patriarcado são objetos de crítica por entre as páginas do livro. “Um evento para se discutir a história do Brasil e como as perspectivas negligenciam a imagem da mulher é essencial. Tem que ser algo recorrente”, Luiza Romão reforça.

Maria Clara Dunk, uma das mediadoras do debate e do clube de leitura “Leia Mulheres” em Goiânia, percebe a necessidade de se discutir os moldes pelos quais a história do Brasil foi sendo contada ao longo do tempo. “A perspectiva feminina foi negligenciada do conhecimento que a gente tem sobre a história da nação brasileira. A ideia do evento é repensar como essa construção aconteceu a partir da exclusão da figura e da imagem da mulher”, explica.

Ainda segundo Dunck, entender e ao mesmo tempo revisar a problemática em torno dessa exclusão faz com que formas de mudar a estrutura do pensamento vigente sejam possíveis. “O evento se faz necessário justamente por isso: para refletirmos sobre o papel da mulher como produtora de conhecimento”. O evento será aberto ao público e sediado no Auditório do Espaço Cultural de Lazer e Saúde, no Adufg Sindicato.

Haverá sorteio de um exemplar no dia 21/03. Confira as regras para concorrer AQUI.

 

Serviço:

Debate sobre o livro “Sangria”, da autora Luiza Romão

Data: 28/03 – A partir das 19h

Local: Auditório do Espaço Cultural, de Lazer e Saúde – Adufg Sindicato

Remover Filtro

Câmara Municipal de Jataí vota cessão de terreno para Adufg

19/09/2018

Decisão foi votada por unanimidade e deve ser publicada no Diário Oficial do Município nos próximos dias

 

Novos docentes, outros desafios

18/09/2018

Ex-presidentes Márcio Florentino e João de Deus relatam os problemas enfrentados por professores recém-chegados à UFG

Estilo de vida pode ser aliado ou inimigo da diabetes

17/09/2018

Nutricionista aponta que o tratamento da doença começa com a adequação à realidade de cada paciente

Relembrando a Mostra Milton Santos

17/09/2018

Evento multicultural promovido pelo Adufg-Sindicato marcou a UFG com convidados especiais e debates temáticos importantes

II Encontro Nacional do GT Direitos Humanos do PROIFES lançará campanha sobre violência contra a mulher. Faça sua Inscrição!

17/09/2018

Estão abertas as inscrições para Oficina de Nutrição Funcional do Mais Saúde

14/09/2018

A oficina faz parte da terceira edição do "Mais Saúde", que será realizada no dia 24/9 (segunda), a partir das 19h

Professor do ICB lidera artigo publicado na revista Science

14/09/2018

Publicação de alto impacto, liderada por um professor da UFG, qualifica pesquisa na universidade

Entidades debatem a Saúde em Goiás com candidatos ao governo na próxima quarta-feira, 19/9

14/09/2018

O evento é aberto ao público e ocorre a partir das 18 horas, na sede do Adufg-Sindicato.

CT&I é pauta de encontro com candidatos ao Governo de Goiás

13/09/2018

Durante o encontro, todos os políticos receberam a Agenda Goiás, elaborada pela SBPC

Uso do bambu é difundido em Goiás

13/09/2018

Até hoje, já foram descobertas seis novas espécies da planta e feitas várias doações para a comunidade promover o cultivo

voltar para página anterior
Adufg - Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás