últimas notícias

Notícias

Mediadoras do projeto “Leia Mulheres” debatem a história do Brasil sob a ótica feminina

Publicado em : 12/03/2018

Autor : Ascom Adufg Sindicato

Luiza Romão em uma das fotografias que ilustram 'Sangria' (Costura de Luiza Romão sobre foto de Sérgio Silva)

Na última quarta do mês de março (28), a partir das 19h, o livro “Sangria”, de Luiza Romão, será analisado em roda de discussão e leitura sob a seguinte pergunta norteadora: o que é possível fazer para mudar a forma como a história do Brasil foi pensada e construída? A ocasião, mediada por Amanda Faria, Cristiane Passos, Maria Clara Dunck e Taluana Wenceslau (representantes do Projeto Leia Mulheres em Goiânia), tem o objetivo de resgatar a história do Brasil por meio de uma perspectiva feminina, tendo em vista os ciclos históricos recriados pela autora do livro em questão.

“Sangria” gira em torno de 28 poemas que retratam os processos históricos do Brasil sob a ótica de um útero. A quantidade de textos, inclusive, é estrategicamente pensada para entrar em diálogo aos 28 dias do ciclo menstrual. A lógica colonialista e a própria estrutura do patriarcado são objetos de crítica por entre as páginas do livro. “Um evento para se discutir a história do Brasil e como as perspectivas negligenciam a imagem da mulher é essencial. Tem que ser algo recorrente”, Luiza Romão reforça.

Maria Clara Dunk, uma das mediadoras do debate e do clube de leitura “Leia Mulheres” em Goiânia, percebe a necessidade de se discutir os moldes pelos quais a história do Brasil foi sendo contada ao longo do tempo. “A perspectiva feminina foi negligenciada do conhecimento que a gente tem sobre a história da nação brasileira. A ideia do evento é repensar como essa construção aconteceu a partir da exclusão da figura e da imagem da mulher”, explica.

Ainda segundo Dunck, entender e ao mesmo tempo revisar a problemática em torno dessa exclusão faz com que formas de mudar a estrutura do pensamento vigente sejam possíveis. “O evento se faz necessário justamente por isso: para refletirmos sobre o papel da mulher como produtora de conhecimento”. O evento será aberto ao público e sediado no Auditório do Espaço Cultural de Lazer e Saúde, no Adufg Sindicato.

Haverá sorteio de um exemplar no dia 21/03. Confira as regras para concorrer AQUI.

 

Serviço:

Debate sobre o livro “Sangria”, da autora Luiza Romão

Data: 28/03 – A partir das 19h

Local: Auditório do Espaço Cultural, de Lazer e Saúde – Adufg Sindicato

Remover Filtro

Professor(a), fique atento(a) à data de vencimento do Cartão Unimed

14/12/2018

Certifique-se que a data de vencimento não coincide com o período de recesso do sindicato

Jataí terá atendimento jurídico no dia 17/12

14/12/2018

Professores interessados em marcar horário devem entrar em contato com a secretaria da subsede

Palestra discute previdência privada

14/12/2018

Evento ocorreu na manhã de quinta-feira (13/12) na Escola de Agronomia

Metodologias de ensino viram exposição na Faculdade de Farmácia

13/12/2018

Material produzido por alunos da pós-graduação ficam expostos até o dia 21/12 (sexta-feira)

V Prêmio SBPC acontece nesta terça-feira

13/12/2018

Solenidade será realizada no Instituto Histórico e Geográfico de Goiás a partir das 19 horas, onde também ocorre o lançamento do Guia e Exposição de Fotos “Um olhar perspicaz: os bens tombados e acautelados de Goiânia” e a

Musicoterapia homenageia professora pioneira do curso em Goiás

12/12/2018

Leomara Craveiro de Sá foi uma das fundadoras da graduação e pesquisas na área. Evento acontece nesta sexta-feira, dia 14 de dezembro, na Clínica de Musicoterapia da UFG

Adufg- Sindicato divulga recesso das atividades durante o fim de ano

12/12/2018

Projeto Escola Sem Partido será arquivado

12/12/2018

Professor(a), tenha controle de seu cadastro do plano de saúde no site da Unimed

12/12/2018

Em caso de problemas, comunique a coordenação de planos assistenciais

 

Adufg ganha, em primeiro grau, ação proposta contra a UFG relativa a reposicionamento de professores aposentados

11/12/2018

Magistrado considerou que lei não impede que benefício seja estendido a docentes inativos da universidade

voltar para página anterior
Adufg - Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás