Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 25/11/19 - Notícias

Café com Prosa reuniu diversos professores e escritores para um bate-papo

Café com Prosa reuniu diversos professores e escritores para um bate-papo

O segundo dia (22 de novembro, última sexta-feira) da IX Exposição de Arte e Artesanato dos Professores da UFG foi marcado pelo Café com Prosa, uma roda de conversa com diversos professores e escritores da universidade. O objetivo foi retomar uma atividade de apreciação e discussão literária dentro da programação da exposição. A Diretora de Convênios e de Assuntos Jurídicos do Sindicato, Ana Christina Kratz, relembrou que houve uma iniciativa similar na primeira exposição em que foi realizada “uma roda de conversa deliciosa que durou a tarde inteira” e que “trouxe jornalistas e até a secretária de Educação da época, que era a professora Milca Severino”.

Antes das falas, a professora e contadora de histórias Edvânia Braz contou uma breve história e mencionou a proximidade da contação com a literatura. “De lá pra cá a gente vem estudando, formando professores para que trabalhem os diversos gêneros literários. A contação é uma arte essencial nas escolas e está no meio da literatura, da música e da arte”.

Entre os participantes estava a professora emérita da UFG, Maria do Rosário Cassimiro, primeira Reitora mulher de universidades federais no Brasil. Ela estava divulgando o seu 15º livro, Caderno de Tomaz Garcia. Autobiográfico e histórico, a obra retoma suas origens. “Ele conta a história de 200 anos atrás, de antes da independência do Brasil até o dia de hoje, que revela minha vida e a vida de meus antepassados. Tenho muito prazer em dividir este livro com professores e ex-alunos meus na Sede do Adufg. É uma alegria participar deste evento. Todos tivemos uma tarde agradável que serviu para nos unir cada vez mais no caminho da vida e da Educação no Brasil”, disse.

Também integrou o evento, o professor Manoel Bueno Brito, mais conhecido por colegas e alunos como "Nequito". Nascido em Crixás, no interior goiano, ele fez carreira como educador no colégio Lyceu de Goiânia, na PUC e na UFG, onde foi diretor do antigo ICHL. Começou sua carreira na literatura em 1997 com o livro Candeia de Canto e deu seguimento em 2007 com o livro Viagem da Tarde. Desta vez, o autor estava apresentando sua obra mais recente, A Serra no Vão dos Rios, lançado no ano passado. Ele elogiou a iniciativa do Adufg de retomar esta roda, especialmente para os professores mais antigos. “É um ressurgimento, um encontro, uma forma de dinamizar inteligências adormecidas que não têm, às vezes, oportunidade de se revelar em lugar nenhum”, disse, “pelo convívio, pela contribuição que todos deram ao ensino, à cultura, à Educação. É a ajuda que um leva ao outro na animação para viver, escrever, produzir arte, conversar. Revalorizar-se”.

Confira os melhores momentos nas fotos registradas pelo nosso fotógrafo Diogo Fleury.