Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 18/03/20 - Notícias

Adufg-Sindicato pede repatriação de professor goiano impedido de sair do Peru

Docente da UFG, Edemilson Cardoso não consegue retornar ao Brasil após fechamento de vias de acesso implantado por decreto de emergência sanitária do governo peruano

Adufg-Sindicato pede repatriação de professor goiano impedido de sair do Peru

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato), pediu, oficialmente, a repatriação do professor da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edemilson Cardoso, e de sua esposa, Mônica Pureza Gomes Cardoso, que estão retidos no Peru, por meio de decreto de emergência sanitária. A medida do presidente Martín Vizcarra bloqueou todas as vias de acesso no País.

A repatriação foi pedida ao Núcleo de Assistência a Brasileiros (NAB) do Ministério das Relações Exteriores. “A situação do docente e demais goianos que estão lá dão conta da extrema necessidade de que o Governo Federal promova todas as medidas necessárias para repatriação dessas pessoas”, diz trecho do ofício assinado pelo presidente do Adufg-Sindicato, professor Flávio Alves da Silva, e pelo assessor jurídico da entidade, Elias Menta Macedo.

Edemilson está no Peru há dois meses. Ele realizava sua licença de capacitação e mediava um convênio entre UFG e Universidad San Antonio Abad. Segundo o docente, a recomendação é que os turistas entrassem em contato com as companhias aéreas para que os voos fossem confirmados. “Mas o bloqueio das vias de acesso foi uma determinação do governo peruano. As companhias não podem fazer nada”, explica.

De acordo com o Edemilson, as estradas também estão fechadas, o que impede o retorno por terra. “Se a estrada fosse liberada, poderia entrar no Brasil pelo Acre, mas da forma que está, não tem jeito”, relata.