Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 25/09/18 - Informes, Saúde

3ª edição do 'Mais Saúde' promove oficina de nutrição e discute obesidade e diabetes

3ª edição do 'Mais Saúde' promove oficina de nutrição e discute obesidade e diabetes

Na noite da última segunda-feira (24/9), o Espaço Cultural, de Lazer e Saúde do Adufg-Sindicato foi tomado pelas atividades da terceira edição do Mais Saúde. A obesidade e a diabetes foram os principais temas discutidos na roda de conversa que inaugurou a ocasião, às 19h. As nutricionistas Karla Esperidião (Espaço Saúde), Hellen Christina e a psicóloga Vitória Nascimento dialogaram sobre a relação entre os dois temas, de maneira a trazer à tona novas abordagens para os participantes desta edição.

“A obesidade pode levar ao desenvolvimento da diabetes, e ambas são classificadas como doenças crônicas. Condições genéticas e condições ambientais ligadas ao estilo de vida estão relacionadas às causas da diabetes. Não é possível afirmar que de fato são as causas, mas elas podem levar ao contexto patológico”, a nutricionista Hellen Christina introduziu, enquanto discutia o múltiplo contexto em torno da obesidade e da diabetes.

Com a mesma vertente, Karla Esperidião, nutricionista ligada ao Espaço Saúde, também explicou aos presentes que “estar obeso” envolve uma série de fatores que não implicam em apenas um tratamento específico. “É necessária uma equipe de profissionais para acompanhar o tratamento da pessoa. A obesidade é uma doença multifatorial e, por isso, exige o aprofundamento da análise na ordem psicológica, médica, ligada ao condicionamento físico e também à nutrição”.

Após a fala das duas nutricionistas, a psicóloga Vitória Nascimento trouxe novas abordagens ao assunto de acordo com a teoria psicanalítica. Ela inseriu a discussão sobre a denúncia que o próprio corpo faz à questões mediadas pela história de vida do sujeito, bem como a análise da obesidade como um sintoma que indica sinais para além da necessidade biológica. “O corpo é ‘linguarudo’ porque nos entrega; denuncia. Ele fala muito mais do que aquilo que era para ser dito. A obesidade, para a psicanálise, é um sintoma. Ou seja, ele aponta para algo a mais. Para além da necessidade biológica. Sintoma é um acordo diante de um conflito entre desejo e a defesa, um componente da pulsão recalcado, enquanto outro, por meio de condensação e deslocamentos, ainda busca satisfação. A pulsão, por sua vez, é uma força constante que busca satisfação por meio de um objeto, que só pode satisfazê-la pessoalmente. É o representante psíquico, segundo Freud, que dos estímulos corporais. Ou seja, sintoma é uma formação de compromisso: a obesidade pode ser uma forma de buscar satisfação”.

E continua: “A obesidade, então, está para além da relação sujeito e comida, diz de sua história de vida, sua organização subjetiva. Excesso de gordura pode dar a impressão de um corpo cheio, sem bordas ou limites. Ao mesmo tempo porta o vazio que busca ser preenchido compulsivamente. Espera-se que o desejo seja acalmado. Espera-se sentir-se completo”.

O tratamento psicológico, orientado pela psicanálise, consiste no instrumento da escuta. “Ouvir esse sujeito por meio da análise além do objeto comida é o primeiro passo para o tratamento e a possível emergência de um sujeito que tem a sua própria vida, sua própria subjetividade e que é sim capaz de sair dessa posição de gozo para uma posição de ser desejante. O tratamento consiste não em aparências ou na busca por um padrão estética inalcançável, mas sim na escuta na ética do desejo. O sujeito é acolhido para falar das questões que estão além de um corpo obeso, cheio, mas sim de corpo psíquico que está vazio e comprometido pela falta da falta. É necessário trabalhar as questões que o levam a comer compulsivamente”, Vitória Nascimento conclui.

E não parou por aí: a segunda atividade tomou forma por meio da oficina de nutrição funcional, que foi realizada pela nutricionista e chef da Sathya Nutri, Verinha Fernandes. Os participantes, em conjunto, colocaram a mão na massa ao fazer oito cucas de banana integral, sem lactose e diet.