Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 03/09/19 - Notícias

CD do PROIFES detalha ações contra Future-se e avalia encaminhamentos do XV Encontro Nacional

Diretores do Adufg integraram a reunião, em Brasília

CD do PROIFES detalha ações contra Future-se e avalia encaminhamentos do XV Encontro Nacional

O Conselho Deliberativo da PROIFES-Federação reuniu-se em Brasília, nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, com o objetivo de alinhar as ações da Federação e sindicatos federados em relação ao projeto Future-se, que flexibiliza a autonomia financeira e de gestão das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), e também para avaliar as propostas elaboradas durante o XV Encontro Nacional do PROIFES, realizado em Belém, capital paraense, de 1 a 4 de agosto.

“Se temos um remodelamento do Estado, com leis alteradas a cada dia no qual as nossas estruturas atuais de sociedade não cabem, temos também uma luta muito grande a fazer, que é mostrar o que está por trás desse discurso. O desafio agora é como construir uma alternativa ao Future-se”, afirmou o presidente da PROIFES-Federação, Nilton Brandão (SINDIEDUTEC-Sindicato).

"O governo negocia com reitores de IFES na base da chantagem, com contingenciamento de recursos. Quando o projeto Future-se chegar nas universidades, que estão já sem recursos agora, há o risco de grande parte das universidades aceitar porque não terão alternativa", alertou o presidente do Adufg-Sindicato e tesoureiro da PROIFES, Flávio Alves da Silva.

Para o Diretor de Promoções Sociais, Culturais e Científicas do Adufg-Sindicato, Daniel Christino, foi muito interessante a reunião do Conselho Deliberativo. "Conseguimos debater questões importantes para a universidade e também as propostas que surgiram durante o nosso Encontro Nacional. Mas, o assunto mais emergencial que tratamos foi o Future-se, cujo projeto sempre vamos assumir um posicionamento contra", pontuou.

A organização do “Seminário do PROIFES-Federação: Universidade Pública: autonomia e financiamento”, a ser realizado na primeira semana de outubro em parceria com a APUB-Sindicato, em Salvador, capital baiana. “Contamos com a participação dos sindicatos federados e com professoras e professores e didversas entidades que discutem este tema, além de discussão sobre o cenário atual e autonomia universitária”, explicou a vice-presidente do PROIFES, Luciene Fernandes (APUB-Sindicato).

A organização do III Encontro Nacional de Direitos Humanos do PROIFES-Federação foi outro dos temas na pauta de discussão do CD. “A temática desta edição do Encontro vai ser Direitos Humanos em tempos de crise na democracia, e vai ser o momento de continuar este trabalho de discussão de gênero, racial e sexualidades, que é uma marca do GT Direitos Humanos, e pautas nas quais o PROIFES é protagonista”, afirmou Eduardo Silva (ADUFRGS-Sindical).

Decisões 

Segundo Brandão, no CD foram estabelecidas quatro linhas gerais de ações da PROIFES em relação ao Future-se: manter o trabalho político que já vem sendo feito pelo PROIFES e pelos sindicatos federados nas universidades e institutos federais para negar o modelo do Future-se; manter e aumentar a atuação junto a parlamentares, tanto da Câmara quanto do Senado, em consoância com as ações das frentes parlamentares em defesa da educaçãoe da universidade pública, com o objetivo de ampliar a conscientização sobre os efeitos danosos do modelo apresentado; e, caso o Future-se seja encaminhado via Medida Provisória, demonstrar as inconsistências e incostitucionalidades por meio de ações jurídicas.