Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 27/02/20 - Nota

Nota do Adufg-Sindicato sobre convocação contra o Legislativo e o Judiciário

Nota do Adufg-Sindicato sobre convocação contra o Legislativo e o Judiciário

Com muita preocupação e indignação, o Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) alerta a sociedade para o risco do ato público convocado para o dia 15 de março, que parece ter como principal objetivo emparedar as instituições brasileiras em particular o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Poder Legislativo. Causa ainda mais espanto que o próprio presidente da República – que deveria ser o primeiro a defender a legitimidade da democracia -, esteja atuando pessoalmente no compartilhamento de vídeos e fotos que apoiam a manifestação.

O suposto ato público é um ataque grave contra a democracia do País e o presidente demonstra, mais uma vez, não ter apreço ao sistema democrático. Jair Bolsonaro ultrapassou todos os limites toleráveis para uma convivência democrática. O momento exige atenção absoluta daqueles que defendem a democracia e os direitos da população. Afinal, ao estimular esse tipo de ato público e convocar sua militância para as ruas, o presidente atenta, de forma explícita, contra a Constituição de 1988.

Mais que nunca, o Adufg-Sindicato ressalta a importância da Greve Geral em Defesa dos Direitos e dos Serviços Públicos, marcada para 18 de março. O Adufg dá total respaldo ao ato, que, além de combater o projeto político de precarização dos serviços públicos, também defenderá, de forma incansável, a democracia.

O Adufg-Sindicato também aproveita para reafirmar seu compromisso com o sistema democrático. Para a entidade, a erosão da legitimidade da democracia pode resultar na ruptura da ordem constitucional. Que ninguém, de nenhuma corrente ideológica, compactue com a deslegitimação das instituições. Para o Adufg-Sindicato, Jair Bolsonaro, mais uma vez, demonstra total incapacidade para ocupar o cargo, que requer diálogo e não confronto com os demais poderes do Estado.