Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 15/07/19 - Notícias

Filho de ex-presidente do Adufg-Sindicato é eleito presidente da UNE

Filho de ex-presidente do Adufg-Sindicato é eleito presidente da UNE

Ao final do 57º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), em Brasília, foi eleita a nova diretoria da entidade, que vai ter à sua frente Iago Montalvão, filho do ex-presidente do Adufg-Sindicato, professor Romualdo Pessoa. Iago é estudante do curso de Economia na USP e é o terceiro goiano a assumir a presidência da UNE. Ele foi o candidato da chapa 6, “Tsunami da Educação”, e venceu com 70,9% dos votos (4.053 votos), em oposição a outras cinco chapas. A diretoria tem um mandato de dois anos.

O total de votos válidos foi de 5.715 votos além do congresso ter tido um número recorde de delegados inscritos, com a participação e 8.013 estudantes. À página oficial da UNE na internet, o novo presidente declarou que “apesar das nossas diferenças é essa pluralidade que faz a UNE estar gigante. Saindo desse ginásio precisamos estar unificados nas ruas para derrotar Bolsonaro. Só a luta e os estudantes mobilizados conseguirão derrotar este governo”.

A nova diretoria já tem agenda: dia 13 de agosto foi escolhido durante o congresso para ser a próxima data de protestos contra os cortes na Educação e por mais bolsas e investimentos.

O professor Romualdo também fez parte do movimento estudantil desde seus tempos de secundarista e compõe a diretoria da UNE. Portanto, para ele é um momento de muito orgulho. “A participação no movimento estudantil e nesta entidade já me acompanha desde os anos 1980 e ver meu filho à frente disso adquire um caráter muito mais marcante, é muito importante para nós, do ponto de vista pessoal”, disse.

Há a preocupação pela instabilidade política do País. “A juventude sempre é um baluarte nestas lutas e seguramente a UNE estará na frente desta mobilização, o que nos preocupa, mas eu também enfrentei a ditadura, então a única coisa que posso fazer é estimulá-lo”, disse o professor.

“Para além da minha constituição de pai, tenho para mim que ele será uma grande liderança nacional. Este é o momento que a juventude está precisando, o País necessita que a juventude vá às ruas contra as atitudes retrógradas deste governo, especialmente na Educação”, encerrou.