Notícias

Autor: Ascom Adufg-Sindicato

Publicado em 26/03/20 - Notícias

Professores da UFG produzem quase 300 quilos de álcool em gel para distribuição gratuita

Esta e outras contribuições dos docentes na universidade sofre agora com a falta de insumos. Produção foi doada para profissionais que atuam em áreas cujas atividades não podem ser paralisadas

Professores da UFG produzem quase 300 quilos de álcool em gel para distribuição gratuita

Professores da Universidade Federal de Goiás (UFG) tomaram a iniciativa de produzir álcool em gel 70% para ajudar na prevenção ao coronavírus (Covid-19). Em apenas um dia, foram fabricados, na Faculdade de Farmácia, 264 quilos do produto, que é considerado um dos grandes aliados na luta contra o novo vírus. Toda a produção foi doada para profissionais que atuam em áreas cujas atividades não podem ser paralisadas, como Polícia Militar, Faculdade de Enfermagem (FEN), Escola de Veterinária e Zootecnia (EVZ) e Reitoria da UFG.

O álcool em gel foi produzido pelas professoras Eliana Martins Lima e Marize Valadares, que contaram com o auxílio de três técnicos administrativos e de um grupo de estudantes. “Temos um laboratório que talvez seja um dos mais equipados da área farmacêutica do País. Nessa situação, juntamos todo o material que tínhamos e também adquirimos matéria-prima com recursos próprios”, explica Eliana.

A força-tarefa durou 12 horas e o grupo deve retomar a produção caso a faculdade consiga mais insumos. “Utilizamos todo o material que conseguimos. Foi o que fizemos com aquilo que temos competência para fazer”, ressalta a professora Eliana.

Na Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos (EA), também foi produzido álcool em gel para distribuição gratuita aos profissionais terceirizados que atuam no Campus Samambaia. A iniciativa foi de técnicos-administrativos do Setor de Solos. Segundo a professora Vladia Correchel, o grupo também esbarrou na falta de insumos. “Temos muito álcool, mas nossa limitação é não ter o material espessante para produzir e os frascos, que também estão difíceis de encontrar”, afirma.

A professora também revela que a produção feita até o momento só foi possível graças ao reagente doado pelo professor Wilson Mozena. Ela explica que, caso mais insumos sejam doados, a equipe da EA está preparada para produzir mais.